Em 2016, a Alemanha votou para banir o motor de combustão até 2030, e o governo Britânico seguiu o exemplo, trazendo o banimento das vendas de carros e vans movidos a gasolina e diesel de 2040 para 2030, também. O Japão segue a mesma diretriz, proibindo a venda de veículos a combustão até 2030 e pretende zerar a emissão de carbono até 2050.

Isto deixa os veículos elétricos como única alternativa viável, algo que deve ter um impacto direto no mercado de motocicletas. Então, o que você precisa saber sobre motos elétricas?

Um futuro não muito distante.

A Tesla teve um impacto gigantesco trazendo os carros elétricos para os holofotes, mas não parece que eles tem interesse em lançar uma moto até agora. Mas outras empresas tem feito progressos valiosos tendo excelentes resultados. Autonomia de mais de 160km ja são possíveis, fazendo uma moto elétrica uma opção para várias pessoas que precisam se locomover no seu dia a dia, e também para aqueles que só querem diversão.

A Harley-Davidson com a sua LiveWire, que ja está disponível no Brasil, segue na vanguarda com uma moto potente e confiável com alta capacidade de rodagem. Entregando brutais 12Kg de torque na roda traseira com seus 105cv de potência e autonomia que pode chegar a 235km.

Dois de seus protótipos foram usadas por Ewan Mcgregor e Charley Boorman em sua terceira aventura documentada “Long Way Up”, disponível pela Apple TV+. Rodando 31.000 km atravessando toda a América Latina saindo da Patagônia até Los Angeles com as duas motos elétricas como protagonistas.

Em setembro de 2020 as 4 grandes montadoras do Japão, Yamaha, Kawasaki, Honda e Suzuki, anunciaram um projeto de baterias que podem ser trocadas, melhorando assim a praticidade no carregamento das mesmas.

A MotoGP possui a sua categoria própria de motos elétricas, a Moto E, onde o brasileiro Eric Granado vem dominando neste ano de 2021. As motos chegam a 270km/h com 160cv e 0 a 100 em 3 segundos.

Embora se tornem cada vez mais práticas, os preços altos e uma gama limitada de pontos de recarga rápida têm impedido as motocicletas e scooters elétricas de aumentar a sua participação no mercado. Mas com certeza elas ja são realidade e certamente serão o padrão em um futuro não muito distante.

2

2 thoughts on “É hora de levar as motocicletas elétricas a sério.

  1. Emerson de Campos Lúcio 6 meses ago

    Queria muito saber como foi essa votação!

  2. Anselmo Toshio Matsukura 5 meses ago

    O que fica é a dúvida sobre como a Alemanha gera sua energia elétrica, se poderá fazer isso de forma limpa ou utilizando carvão ou algo assim nas usinas.